sexta-feira, 1 de agosto de 2014

5. Easy Choices.

 Abri os olhos rapidamente sentando-me na cama, demorou alguns minutos até eu finalmente me acalmar, passei as mãos pela testa e percebi que estava suando, levantei-me e segui em direção para fora do quarto.
 Por cinco anos eu sempre sonhava o mesmo sonho, a morte de Megan. Porém agora o sonho era diferente, era com o T.P.H. Enquanto seguia em direção a cozinha, pensava no sonho. Eu estava em uma sala vazia e ele estava sentando em minha frente, sorrindo e eu gritando, mas não conseguia ouvir som nenhum. Ele sempre falava a mesma coisa.“Você devia ter feito isso”. Abri a porta da geladeira, pegando uma garrafa de água logo em seguida. Não contei a ninguém sobre o bilhete e aquilo estava mexendo comigo de um jeito, mas o que poderia fazer? Se contasse a Nick ele com certeza diria que era alguém tentando fazer uma brincadeira de mal gosto, a policia nem pensar, Lauren eu tinha acabado de conhecer e Demi... Ela era minha melhor amiga, ela foi minha melhor amiga, não poderia metê-la nisso novamente. Enquanto colocava o copo na pia, vi algo se mexer entre o jardim, continuei olhando e novamente a coisa se mexeu. Mordi o lábio e abaixei-me pegado uma lanterna debaixo da pia, eu poderia subir e voltar para o quarto ou chamar o Nick, isso eram as escolhas fáceis, mas eu odiava coisas fáceis, então andei até a porta da cozinha abrindo-a em seguida.
- Quem está ai? – perguntei com a lanterna ligada – Quem está ai?
 Andei em direção ao jardim com passos lentos, se estava com medo? Muito, mas eu não me importava, iluminei o jardim, porém não havia ninguém ali. Então escutei um barulho, de uma pessoa, na verdade.
- Merda – ouvi, olhei para o lado e andei até lá.
- O que esta fazendo? – perguntei iluminando-a com a lanterna. Demi tirava algumas folhas da roupa.
- Meu Deus! – ela deu um grito assustada.
- Desculpe – respondi, Demi colocou uma mão sobre o peito e apoiou a outra no joelho. – O que estava fazendo?
- O que eu...? Estava... – ela olhou-me – O que você estava fazendo?
- Insônia – respondi encarando-a – Você não respondeu minha pergunta.
- Eu estava... – ela mordeu o lábio e encarou o chão – Insônia, também.
 Ficamos no encarando, eu sabia que Demi estava mentindo, ela não me encarava nos olhos e era um sinal.
- Vou voltar – disse quebrando o silencio, ela assentiu nervosa – Boa noite.
- Boa noite – ela respondeu, assenti e virei-me indo em direção a porta da cozinha – (SeuNome)!
- Sim? – respondi encarado-a, Demi mordeu o lábio e encarou-me.
- Porque você mentiu? – ela perguntou.
- Eu menti? Sobre o que?
- Você não ficou o resto da noite comigo – ela respondeu cruzando os braços.
- Eu não...
- Você me disse que não tinha falado com os policias, sabe, sobre ter ficado comigo depois da festa, mas você não ficou, você mentiu.
- Não menti, eu fiquei com você, no balanço, lembra? – disse.
- É, mas você saiu depois da mensagem – ela respondeu e pude ver um olhar desapontado, engoli o seco.
- Era o Nick, eu disse – respondi, ela balançou a cabeça negativamente e deu um sorriso infeliz.
- Certo, era o Nick – Demi disse e levantou sua mão, balançando algo no ar, uma pulseira – Enquanto a isso?
- O que... – era uma pulseira realmente, minha pulseira, arregalei os olhos e segui até lá. – Onde você conseguiu isso?
- Adivinha – ela disse – Na casa do Matt.
- Na casa... Do Matt? – perguntei, Demi passou uma mão pelo o cabelo e balançou a cabeça negativamente.
- Rose estava certa – ela disse e percebi sua voz embargada – Você matou o Matt.
- Demi, eu não matei ninguém – respondi sentindo um nó na garganta.
- Velhos hábitos nunca morrem, não é mesmo? – ela disse irônica – Porque você voltou? A cidade estava tão melhor sem você, todos tinha esquecido o assassinato da Megan, até você... – Demi disse com a voz falha.
- Eu não matei ninguém, Demi, eu juro.
- Não acredito que por um segundo deixei você entrar na minha vida de novo – ela disse, baixei a cabeça, vi a pulseira cair bem perto de meus pais, abaixei-me e a peguei. Levantei a cabeça, porém Demi já estava seguindo em direção a sua casa.
***
- Você esta bem? – Nick perguntou, olhei para ele e assenti rapidamente – Não parece.
- Não dormi bem, só isso – disse.
- Você nem tocou na comida, aconteceu alguma coisa, (SeuNome)?
- Porque não fomos para outro lugar? – perguntei.
- Como assim? – Nick perguntou confuso.
- Porque não mudamos de cidade depois que sai do reformatório? Seria muito melhor, sabe, recomeçar uma vida em outro lugar, com outras pessoas.
- O que houve, (SeuNome)? Porque esta falando essas coisas...
- Quer saber? Vou para aula – disse levantando-me e indo em direção a sala, peguei minha bolsa e tratei de sair daquela casa.
 Não consegui pregar o olho, comer ou fazer qualquer coisa. Passei o resto da noite só encarando aquela pulseira e pensando em como ela foi parar lá. Eu realmente não passei o resto da noite com Demi, ficamos nos balançando e logo depois recebi uma mensagem: 
“Uma Harris nunca deixa isso barato, não desonre sua família”. 
 Não era o Nick, era um número confidencial, Demi perguntou quem era, eu tive que responder que a mensagem era do Nick, então segui em direção pra casa, apenas isso. Quando éramos criança, mamãe sempre guardava uma chave reserva em um vaso ao lado da porta dos fundos, então peguei a chave e entrei em casa. Não voltei para a casa do Matt e não o matei, eu estava tentando refazer minha vida, porque eu mataria um cara que... Que me bateu. Era isso. Por isso que o policial me chamou e Rose disse que eu tinha matado-o. Vingança. 
 Nem percebi que já estava em frente da escola, passei tanto tempo pensando que mal percebi. Andei pelo os corredores de cabeça baixa, não por causa dos olhares, e sim, por causa de Demi, não queria encará-la, não com ela pensando que eu matei seu amigo.
- (SeuNome) – olhei para o lado e vi Lauren parada ao meu lado, encarando-me.
- Hey – disse forçando um sorriso.
- Como está? – ela perguntou enquanto abria meu armário.
- Péssima – respondi – E você?
- Levando – ela respondeu – Soube que você falou com o policial.
- Pois é, parece que eu sou a principal suspeita – disse com um tom irônico.
- São todos uns idiotas – Lauren disse – Matt não era uma pessoa maravilhosa, vivia se metendo em briga e tinha vários inimigos.
- Mas para eles eu sou a única – respondi, Lauren mordeu o lábio e encarou-me.
- Não acho que você tenha matado o Matt – ela respondeu e eu sorri, pela primeira vez naquele diz.
- Obrigada – respondi sorrindo, ela retribuiu – Pelo menos alguém.
- Mas a investigação ainda esta acontecendo, certo? Daqui a pouco vão achar o culpado – Lauren disse e eu suspirei.
- Espero que esteja certa – respondi, então o sinal tocou – Nos vemos no refeitório.
- Claro – ela respondeu, sorri e segui para sala de aula.
***
 Sentei ao lado de Lauren e olhei o refeitório a procura de Demi, e lá estava ela. Rose estava com a cabeça em seu ombro e parecia chorar, Demi também estava com os olhos inchados, nossos olhares se encontraram e pude sentir o ódio e a magoa trasbordando por eles.
- Problemas no paraíso? – Lauren perguntou fazendo com que eu desviasse o olhar.
- O que? – perguntei, ela deu um sorriso de lado e bebeu um pouco de seu suco – Cadê a Ally?
- Deve esta em alguma reunião do jornal – Lauren respondeu revirando os olhos – Com certeza estão discutindo sobre a próxima matéria do jornal.
- Você e Ally são amigas há muito tempo? – perguntei.
- Há dois anos, ela me ajudou com tudo isso aqui quando cheguei – ela respondeu.
- Chegou de onde? – perguntei e vi Lauren ficar tensa.
- Los Angeles – ela respondeu, mordeu o lábio e encarou-me – Reformatório de Los Angeles.
- Oh – murmurei surpresa – Nossa.
- Pois é – ela disse forçando um sorriso – Temos uma coisa em comum.
- E o que você fez para ir, sabe, para um reformatório?
- Briga de rua – ela respondeu e arquei as sobrancelhas surpresa – Não pense que eu sou disso, minha mãe tinha acabado de morrer e eu estava naquela fase de revolta, então comecei a sair com pessoas desse tipo e acabei me metendo e você sabe como acontece.
- E você mora com quem hoje?
- Minha tia, ela me tirou de lá – respondeu – Sabe, você e Ally são as únicas que sabem disso.
 Sorri e assenti, Lauren tinha confiado em mim para contar isso, será que eu não deveria confiar nela também? Contar sobre o bilhete, talvez me ajudasse um pouco. Abri a boca para contar sobre o bilhete, porém fui interrompida por Ally.
- Hey – Ally disse sentando-se na mesa.
- Oi – respondi e ela olhou-me.
- Então, como foi à reunião? – Lauren perguntou rapidamente.
- Vamos fazer um especial em homenagem ao Matt – ela respondeu olhando para seu prato.
- E a entrevista da (SeuNome)? – Lauren perguntou.
- Vamos ter que adiar – Ally disse e finalmente olhou-me – Vamos fazer a homenagem ao Matt primeiro.
- Justo – respondi e ela apenas assentiu e encarou seu prato. Comemos em silencio e de vez em quando percebia alguns olhares de Lauren para Ally, mas minha cabeça estava tão longe que eu nem mesmo comi nada.
- Nos vemos por ai – disse para Lauren levantando-me.
- Onde você vai? – ela perguntou.
- Não estou com muita fome, vou andar por ai – respondi, ela assentiu, deixei minha bandeja e segui para fora do refeitório, andei até meu armário, porém parei assim que vi. Demi estava parada em frente a ele, olhou-me e começou a andar em minha direção.
- Campo de futebol – ela sussurrou ao passar por mim, assenti entendo o recado. 
 Depois de alguns minutos segui em direção ao campo de futebol, olhei em direção as arquibancadas e lá estava Demi.
- Oi – respondi, Demi encarou-me e cruzou os braços.
- Você precisa se confessar – ela disse.
- Confessar o que?
- Não se faça de idiota – ela respondeu ríspida – Confessar a policia o que você fez.
- Eu não fiz nada, Demi – respondi.
- Fala a verdade pelo menos uma vez na vida, (SeuNome) – ela disse – Ou você diz a policia o que fez ou eu vou ter que dizer.
- Você... – comecei, porém ela interrompeu-me rapidamente.
- Você vai fazer isso hoje, ou então... – ela disse encolhendo os ombros e logo saindo dali.
***
- Nick? Podemos conversar? – disse adentrando na cozinha.
- Claro, o que houve? – ele respondeu cruzando os braços, engoli o seco e sentei-me na cadeira.
- Quero que você me escute, até o fim, sem dizer nada, okay? – disse, Nick franziu o cenho e sentou-se a mesma também.
- Você esta me assustando – ele respondeu – O que houve, (SeuNome)?
- Sabe quando eu fui chamada à delegacia? Ser interrogada sobre a morte do Matt? – disse encarando minhas mãos em cima da mesa – Eu disse para você que todos os alunos que estavam na festa foram chamados, eu estava mentindo.
- (SeuNome)... – ele começou.
- Me deixa terminar – pedi – Eu fui chamada porque sou a principal suspeita da morte do Matt.
- O que?
- Como você sabe, eu tinha brigado com ele – disse ainda encarnado minhas mãos, não conseguia encara-lo – E como eu apanhei, eu fui a principal suspeita, essas coisas de vingança.
- Mas você não fez isso – Nick disse – Ou...
- Não! Mas eu menti em relação a isso – disse – Não passei o resto da noite com a Demi, ela me trouxe até aqui, depois ficamos conversando, então recebi uma mensagem.
- De quem?
- Não sei, não tinha nome algum – respondi – Nick, eu juro que não matei o Matt, porque eu mataria aquele garoto?
- Eu acredito em você – ele respondeu pegando em minha mão, então finalmente eu o encarei.
- E tem mais – respondi, abri a bolsa e peguei a pulseira, colocando em cima da mesa, Nick arregalou os olhos e pegou.
- Onde...?
- Demi me entregou ontem – respondi e ele encarou-me – Ela disse que estava na casa, junto com o corpo do Matt.
- Meu Deus – ele disse passando as mãos pelos cabelos – Como essa pulseira foi parar lá?
- Você acha que eu sei? Não via essa pulseira há sete anos, Nick – respondi – O que vou fazer agora?
- O que vamos fazer – ele respondeu – Vamos escondê-la, quebra-la, fazer alguma coisa.
- Não adianta – respondi e ele franziu o cenho – Demi me confrontou hoje e disse que se eu não confessasse a policia, ela...
 Fui interrompida por batidas na porta, olhei para Nick já sabendo o que aquilo significava, levantei-me e segui em direção a porta. Coloquei a mão na maçaneta e olhei para Nick.
- Não... – ele sussurrou, mas já era tarde, a porta já estava sendo aberta.
- Senhorita Harris, você esta presa pelo o assassinato de Matthew Sullivan. 

9 comentários:

  1. Puta merda!!!!! Nesse instante eu to com muita raiva da Demi.....
    O cap ta incrivel, apesar de eu ter ficado bem puta om a Demi...
    Posta logo pfv

    ResponderExcluir
  2. PUTA QUE PARIU VELHO, TO NO CHÃO VIADO! Continua, ta muito bom!

    ResponderExcluir
  3. Quero q a demi se foda legal, sofra dps q perceber a burrada e ver q n fui "eu" fiquei c raiva tb

    ResponderExcluir
  4. Todos contra Demi?!? Huahua admito que também fiquei com muita raiva dela, ansiosa por mais, esta maravilhoso e muuuito instigante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo que não teve mais inspiração para continuar a outra fic, mas porque não deu apenas uma pausa? Digo, pode demorar, mas quem sabe um dia a inspiração volte, idéias legais aparecem?!?! :'( era uma fic maravilhosa poxa. Enfim, uma pena, mas vamos lhe entender...Bj!

      Excluir
  5. Cara raiva é pouco kkkkk,eu só quero que depois que ela perceber que ñ fui ''eu'',que ela venha falar comigo pedindo desculpas.Eu vou da uns tapas na cara dela kkkkk...enfim isso ta perfeito,continua logo please

    ResponderExcluir
  6. Lá vamos nós ver a Maya de Novo

    ResponderExcluir
  7. Continua plmdds :(
    Acho que foi a "Megan"
    Demetria poxa :(

    ResponderExcluir
  8. Essa Demetria é idiota mesmo, viu -.-

    ResponderExcluir